DADOS BIOGRÁFICOS
Data de Nascimento – 13 Julho 1977

Clube – Clube Naval de Cascais

Local de Nascimento – Rio Janeiro, Brasil

Signo - Caranguejo

Nacionalidade - Portuguesa

Estado Civil - Solteiro

Idioma – Inglês, Espanhol, Francês, Italiano

Hobbies - Viagens, Cinema, Praia, Karts, Ciclismo, Surf, Windsurf;

BIOGRAFIA
Gustavo Lima nasceu no Rio de Janeiro, a 13 de Julho de 1977. Obra do destino, o 13 passou a ser o seu número da sorte. Apenas com quatro meses de idade veio para Portugal, mas a terra natal ficou sempre na sua memória já que é no Brasil que mais gosta de passar as suas férias. Já em Cascais, o primeiro colégio que frequentou foi a Escolinha da Tia Ló.

Nessa altura era ainda um miúdo calado, tímido e envergonhado.

Mais tarde, a prática de actividades desportivas permitiu-lhe um maior convívio com os seus colegas da Escola da Areia. Com nove anos, o desporto assumia já um papel importante na sua vida mas a sua vocação ainda não estava definida. Certo é que a sua disciplina preferida era a matemática, sempre com boas notas, e que o cálculo era algo que o fascinava. As férias escolares eram passadas na companhia dos seus pais Jorge e Maria José, duas pessoas fulcrais na carreira do atleta. A família Lima habituou Gustavo desde muito novo a viajar. Todos os anos visitavam um local diferente e, por isso, ficou sempre com o “bichinho” das viagens. Mais tarde, com a participação nos diversos Campeonatos do Mundo e da Europa, teve a oportunidade de continuar a descobrir novos países. Conhecer novas culturas dá-lhe o privilégio de alargar os seus horizontes, conhecer outras realidades e viver experiências para mais tarde recordar.

Um dos dias que Gustavo certamente não vai esquecer é aquele em que, pela mão do seu pai, foi até ao Clube Naval de Cascais e entrou na água pela primeira vez. Tinha nove anos. Embora tenha sido influenciado pelo seu pai, praticante de windsurf, quando velejou pela primeira vez, a bordo de um Optimist, gostou bastante e criou desde logo uma grande afinidade com a modalidade.

O espírito ganhador que tão bem o caracteriza formou-se desde logo. O menino que não gostava de perder nem nas brincadeiras com o seu irmão Jorge, ganhou o seu primeiro título em 1992. Foi Campeão Nacional de Optimist ao que se seguiu quatro presenças em Campeonatos do Mundo saldando-se, com um quinto lugar na Grécia, a sua honrosa participação.

Ambicioso, determinado e lutador, percebeu que o seu futuro poderia passar pela vela de competição e, por isso mesmo, optou por interromper os estudos, no 11.º ano, e dedicar-se a tempo inteiro ao seu sonho. Esta época de transição ficou também marcada pela passagem pelo Sport Clube do Porto. Os seus dias mudaram significativamente. Trabalho e dedicação passaram a ser palavras-chave para o atleta. O seu dia é inteiramente dedicado à vela: passa cerca de quatro horas no mar, se as condições assim o permitirem, seguindo-se o treino físico no ginásio e trinta minutos para um treino de bicicleta. O seu profissionalismo proporcionou-lhe muitas alegrias: festejou um Campeonato da Europa (1994) e um Campeonato Mundial de Laser Radial, em 1998.

Já em Laser Standard, esteve presente nos Jogos Olímpicos pela primeira vez, em Sydney. O sexto lugar conquistado, apesar de ser um bom resultado, deixou no atleta um sentimento de insatisfação. Queria mais. O seu amor pela competição levou-o até Cádis, onde atingiu o ponto mais alto da sua carreira. Sagrou-se Campeão do Mundo batendo um dos seus idolos, Robert Scheidt. Gustavo respeita e admira muito o brasileiro, não só pelo seu reconhecido percurso na vela, mas porque pensa que tem muito em comum com o seu mais forte adversário, principalmente a vontade de vencer.

Gustavo Lima é, sem dúvida, um vencedor nato, para quem sem vitórias a sua vida tem menos sentido. No entanto, há também espaço para os momentos de lazer na vida do campeão. Sempre que pode vai até ao Guincho, porque gosta muito de praticar windsurf. O futebol e o Futebol Clube do Porto são outra das suas paixões. Luís Figo está na sua lista de desportistas preferidos, além de Lance Armstrong, o ciclista que venceu a volta a França 7 vezes, que tem em comum consigo o espírito ganhador. Gustavo Lima também não diz que não a uma corrida de Karting pela adrenalina que este desporto transmite. Nos seus momentos mais calmos e para descontrair, o velejador ouve música chill out e gosta de ir ao cinema.